30 de jan de 2016

As vantagens de ser escritora #3: Vantagens e destavantagens dos comentários


Semana passada fiz uma postagem sobre como as fanfics foram uma experiência sensacional, ensinando-me tantas coisas que foram tão úteis para o meu processo de profissionalização. Mas hoje gostaria de falar sobre algo muito peculiar desse fenômeno e de plataformas de histórias originais como o Wattpad: os comentários. Seriam eles os vilões ou os mocinhos para nós que escrevemos?

Antes de emitir um veredito sobre isso, é importante colocar na balança os prós e os contras dos comentários para o processo de escrita. Para isso, usarei exclusivamente minha experiência, então estejam cientes de que isso pode ser bem diferente para vocês. 

Iniciei minha carreira de ficwriter no ano de 2008 e encerrei oficialmente (embora me arrisque por algumas vezes, especialmente para presentear pessoas queridas) essa estrada em 2013. Nesse meio tempo escrevi para os mais diferentes tipos de fandoms de séries, livros, filmes, hq's, ships reais e animes (sim, eu era meio diversa). Publiquei a maioria dos meus trabalhos em um fórum de acesso restrito, mas também coloquei meus textos em sites abertos como o fanfiction.net e o nyah, além de ter publicado algumas coisinhas no blog antigo. 

Por muitas vezes, no decorrer desse tempo (e, principalmente, dependendo do fandom para o qual estava escrevendo), os comentários foram fundamentais para que eu ganhasse aquele ânimo para continuar. Recebi não só muitos comentários elogiosos e que massageavam meu ego como feedbacks e dicas de escrita que utilizo até hoje. Muitos dos passos que dei hoje foram altamente estimulados pelos comentários nas fanfics

Na época eu não tinha o mínimo de confiança necessária para apreciar meus textos. Raramente conseguia reler o que escrevia e, quando o fazia, não o fazia apreciando o trabalho. Isso certamente me foi prejudicial por um bom tempo, pois minava a minha auto estima. Por tanto, os comentários eram minhas únicas "garantias" de qualidade e que eu estava fazendo alguma coisa realmente boa. 

E um determinado momento, no entanto, os comentários deixaram de ser estímulos para se transformar em tormento pessoal. Quem me conhece há algum tempo sabe que tenho apreço por coisas underground e personagens e/ou ships que necessitam certa argumentação da minha parte (lembram o que disse no artigo sobre Emma Woodhouse?). E, no mundo das fanfics, isso não é exatamente algo que traz muita visibilidade e/ou comentários. Sabem outra coisa que, dependendo do fandom, não traz comentários: não fazer textos com pegação entre personagens. 

O que aconteceu então? Comecei a desanimar em relação à escrita. A confiança não construída até então brotou rapidamente aos meus olhos à medida que eu não recebia os elogios ou feedbacks que me mantinham escrevendo. Muitas vezes mendiguei comentários aos mais próximos, tentando ter um pouco de apreciação. Claro que me ajudava bastante, mas sabe quando chega aquele momento em que não é mais suficiente? Pois é, minha auto estima deu sinais de fraqueza a cada dia e quase desisti. 

Cheguei a ficar meses sem escrever e senti um desânimo enorme. Confessei aos amigos mais próximos e uma delas, a Polly Jorge, acompanhou uma das minhas crises e me fez uma pergunta que mudou minha vida: o quanto aquilo estava sendo prejudicial para mim? Na época eu já estava considerando seriamente a profissionalização e inclusive comecei a participar de de seleções para antologias, mas como eu poderia chegar a algum lugar se duvidava de mim e achava que o controle de qualidade dos meus textos dependia de terceiros e exclusivamente deles? Foi nesse momento que percebi que o casulo confortável das fics estava me sufocando e que eu precisava deixá-lo para me transformar em uma borboleta (espero que a metáfora não tenha ficado muito brega).

Foi nesse momento que tive que decidir o que faria, especialmente se queria realmente ser uma escritora profissional. Comecei vários processos: comecei a estudar sobre processos de escrita (porque nerd é assim, quando tem dúvida, estuda), exercitei reler meus textos (de vez em quando paro para ler algum texto aleatório e hoje consigo amá-los) e iniciei o desapego dos comentários. Hoje consigo ser que nem Martha Jones:


Ok, então você acha que os comentários são os vilões dos escritores?

Não é bem assim. 
Como vocês perceberam pelo meu relato, eles foram muito importantes. Até hoje meu coração se alegra com eles, seja nas coisinhas do blog, na newsletter ou sobre meus contos e o livro. E claro que a gente precisa de feedbacks, pois nossa mente não funciona como das outras pessoas, e a gente meio que precisa saber se a mensagem que você está passando está chegando do jeito que você queria (já adianto que muitas vezes as pessoas não captam o que você quer e em outras captam coisas que você sequer imaginou quando estava escrevendo). Vou falar isso um pouco mais em uma postagem sobre leitores beta (spoiler: sempre escolha pessoas de confiança para isso). 

No entanto, e eis minha conclusão para hoje: os comentários são instrumentos, tal qual a inspiração, como falei para vocês nessa postagem. Eles podem ter um uso fenomenal, mas não faça com que eles sejam toda a base de sua confiança e auto estima. 

Sempre vai ter alguém que nem vai ligar para o seu texto:


E sempre vai ter quem deteste o que você escreve:

Mas você sempre lidará com essas situações numa boa (ou com menos crise) se tiver certeza de que escreve com qualidade, que está sempre procurando melhorar e que nunca se pode agradar a todo mundo. E então, quando vier aqueles elogios lindos, você ficará assim:

Lembre-se que estamos na era dos escritores a serviço dos leitores. Tudo é muito imediato, das publicações até o feedback, e precisamos saber administrar isso de modo a nos beneficiar. Não se esqueça que, se você quer ser profissional da escrita, precisa conseguir administrar os contratempos, desde expectativas até decepções, abalando-se o mínimo possível.

Essa postagem não estava na minha lista, mas achei necessária e espero muito que ela seja útil a vocês. 

3 comentários:

  1. Oi, Marcia.

    Sinto exatamente como você em relação ao assunto. Quando comecei as fanfics, o que mais me motivava a escrevê-la eram os comentários. Mas, claro, depois percebi que a gente não pode depender só disso. Então, hoje eu não conto mais com isso. Se me deixa feliz? Opa, claro. Mas não é o motivo pelo qual escrevo. Tanto é que adotei uma nova política com os meus livros: não dou pra ninguém ler até estar finalizado - em especial, porque não quero que me atrapalhem no que quero passar à história. Mesmo nas fanfics, eu nunca acatei desejos alheios, acho que isso tira a liberdade do autor de ter a sua história do modo como planejou.
    Já disse que amo essa coluna, né? hahaha.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Sobre a borboleta e o casulo: não, a metáfora não foi brega (risos)...
    Olha, sinceramente, não sei dizer se os comentários são os vilões ou os bonzinhos dessa história, acho que depende da situação. O importante é não surtar só pq algum leitor não amou o que escreveu. Eu, como blogueira, vejo os escritores por aí tendo um "ataque de pelancas" por conta de uma resenha negativa. O que tenho vontade de fazer é segurar no ombro do dito cujo e falar: "migx, seje menas". Não dá para agradar a todos, isso é fato. Ah, e tem que saber filtrar também as opiniões, afinal tem gente por aí que só quer aqueles cinco minutinhos de atenção na área dos comentários. Tô amando essa coluna, gente <3

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  3. Comentários é algo complicado em qualquer situação, né? Seja numa fanfic, seja numa resenha, num vídeo sobre maquiagem ou qualquer coisa. O jeito é tentar não se apegar a isso e colocar na cabeça que as coisas não podem girar em torno do que os outros vão achar e sim do que realmente importa para você. E eu devia seguir mais os meus próprios conselhos... rs
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e volte sempre! Seu comentário é sempre importante e bem vindo.

Lembre-se que você é livre para se expressar, desde que com respeito e sempre respeitando o espaço das outras pessoas.

Comentários racistas, misóginos, lgbtfóbicos ou que incitem ódio e/ou violência serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...