9 de jan de 2016

As vantagens de ser uma escritora #1: Inspiração

Nesse texto do Medium eu falei um pouco sobre o mito das musas e da inspiração na profissão de escritor e como isso às vezes se torna mais uma barreira que uma ajuda no processo de criação. Mas, em nenhum momento, neguei que a inspiração existia. Nessa postagem quero falar um pouco sobre isso.

Mas afinal, o que é inspiração e como podemos utilizá-la?



Uma busca rápida do Google trouxe essas definições:


s.f. Estímulo; capacidade criativa dos artistas, dos escritores, dos autores ou de outros profissionais: o criador jamais perde sua inspiração.
Iluminação; ideia repentina e momentânea, normalmente genial.
P.ext. Algo ou alguém que inspira, que incita a capacidade de criação: ela era a musa e inspiração do poeta.
P.ext. O efeito ou resultado do que foi criado a partir de um estímulo de criação.
Religião. Sopro de origem divina que, para os cristãos, teria conduzido os escritores da Bíblia.
Ação ou efeito de inspirar, de deixar passar o ar pelos pulmões.
(Etm. do latim: inspiratio.onis)
No texto que citei na introdução, falei um pouco do conflito entre as duas primeiras definições: a inspiração que se deve à capacidade do artista (no nosso caso, escritores) versus a inspiração que é um fator externo a quem deseja criar.

Gosto de falar dessas diferenças justamente por uma questão de experiência: o início da minha carreira profissional (quando saí do mundo confortável e sem compromissos das fanfics e embarquei nos desafios do mercado literário) fez com que eu tivesse que esquecer a segunda definição e entender que a primeira seria aquela que construiria a pedra fundamental dessa estrada.

Nesse processo de aprendizagem procurei entender qual era a verdadeira natureza da inspiração para mim: ela comandava todos os passos da minha criação ou era apenas aquele pontapé inicial? Descobri não só que a segunda hipótese de extrema verdade em minha vida como também para outras pessoas. 
Isso é a inspiração para mim.
Reescrevendo Sonhos nasceu dessa forma para mim. Uma noite em que estava pensando em nada (ou quase nada) e repentinamente veio a ideia que daria origem ao meu primeiro e tão amado livro. Ainda tive alguns momentos de "presente das musas" nas primeiras cenas e em outros momentos em que consegui desatar os nós da trama que pareciam tão sem solução (quero falar disso mais para frente). 

Percebam que não descarto a inspiração como ferramenta, apenas dou a função que ela realmente tem para mim. O resto do trabalho é todo meu. 

Agora estou num momento de transformação da inspiração em transpiração. A "inspiração" já veio há alguns anos, quando escrevi o conto Flores Frescas para o desafio de um fórum de fanfics e histórias originais que costumava frequentar. O tema do desafio era "primeiro beijo", o que fez com que uma cena surgisse em minha cabeça e então escrevi o conto, que me deu muito orgulho. Tempos depois resolvi que aquelas personagens tinham mais o que contar e percebi que aquele conto tinha que se transformar em um livro.

E você, como anda a sua inspiração? Compartilhe suas experiências com as musas. 

2 comentários:

  1. Nossa, a inspiração é algo tão esquisito, né? Mas, depois que comecei a estudar o lado teórico de se escrever, percebi que a inspiração pode ser a faísca para um trabalho, mas que não é "tudo". Podemos ter uma onda de inspiração nas trinta primeiras páginas e brecar completamente depois, pois sem a disciplina, sem técnicas e um pouco de "obrigação" não vamos a lugar algum e a história para por aí.
    Eu já tive uma época em que tudo era inspiração, era movida a apenas por isso - e eu rendia bastante. Mas, claro, com a rotina, essa "epifania literária" escapa pelas mãos com cada vez mais frequência... Hoje, ainda tenho ótimas inspirações, mas que não me acompanham inteiramente num projeto, infelizmente. Vou perdendo isso por vários fatores durante a escrita e, às vezes, até fica bem difícil encontrar essa "parte boa" novamente :(
    Adorei o assunto, tô amando essas colunas, muito inteligentes e prestativas! :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho um problema com a inspiração, sou bem impulsiva, então às vezes me encho de ideias e gasto todas de uma só vez, me deixando totalmente limitada. Nunca parei para estudar sobre isso, acho que em parte realmente por causa dessa impulsividade toda, não consigo me segurar, sinto que preciso colocar tudo no papel e bem rápido. Acabo me perdendo, é óbvio. Mas quero mudar, sinto que preciso, senão nunca conseguirei finalizar meus projetos.


    Beijos!



    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e volte sempre! Seu comentário é sempre importante e bem vindo.

Lembre-se que você é livre para se expressar, desde que com respeito e sempre respeitando o espaço das outras pessoas.

Comentários racistas, misóginos, lgbtfóbicos ou que incitem ódio e/ou violência serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...