/body Escritora Marcia Dantas: Ser escritora e seus desafios

24 de dez de 2015

Ser escritora e seus desafios


Quem acompanha minhas postagens na página do Facebook sabe que fiz a oficina da Clara Averbuck em outubro desse ano. Essa oficina estava sendo promovida com exclusividade para mulheres e nessa postagem ela explica por que teve essa maravilhosa iniciativa. 

Desde que fiz a oficina, quis falar um pouco de minha experiência e como ser escritora pode ser desafiante. Por isso estou fazendo essa postagem. 
É interessante como às vezes nossos olhos não se abrem para algumas verdades e foi preciso que eu frequentasse essa oficina para entender como a voz das mulheres é silenciada no mundo da escrita. Como a Clara disse no texto que relacionei aqui, os homens são sempre encorajados a falar e ecoar sua voz e opiniões desde cedo, enquanto as mulheres recebem o estímulo oposto. Isso faz com que as escritoras se sintam seriamente intimidada tanto em se colocar nesse mundo (para quem não sabe, o mercado literário é um lugar para onde é necessário que se veja que se faça visível) como em seu processo criativo. Não é à toa que tantas mulheres talentosas acabam sendo vítimas da Síndrome do Impostor e acabem por desistir de seu sonho.

Particularmente me sinto uma pessoa privilegiada em minha criação. O fato de ter ser a primogênita de minha casa e por ter uma irmã fez com que meus pais nunca nos menosprezassem pelo nosso gênero. Pelo contrário, sempre tive muito incentivo e motivação e, mesmo sentindo os efeitos da intimidação do mundo que me cerca, há impulso em mim suficiente para fazer com que não desista das coisas que quero fazer. Foi assim em relação à minha faculdade de Licenciatura em História, meu ingresso como professora efetiva no Estado de São Paulo e no pontapé inicial dado em minha carreira de escritora.

Mesmo diante desses privilégios que atribuo à minha criação e ao fato de ser branca e de classe média, não é difícil perceber a opressão que nos cerca. A inclinação masculina em tirar o crédito das opiniões femininas e, mesmo quando a dona do argumento tem completa certeza do que está falando, fica aquela sensação de dúvida em relação ao que foi exposto. Questionamentos não feitos na mesma intensidade a um outro homem.

Nem quero entrar agora no mérito dos gêneros literários que são legados como "femininos", fazendo com que escritoras não se sintam "com direitos" a caminhar por qualquer tipo de escrita que queira fazer. Estou iniciando um projeto (que entrarei em detalhes em breve) e falarei especificamente sobre isso. Mas esta também é uma questão que pesa sobre as escritoras, tornando-se mais um desafio.

E vocês, escritoras, o que acham? Quais os desafios que vocês enfrentam? Opinem, quero ouvir a voz de vocês.

5 comentários:

  1. Oi, moça!

    Gostei muito do post, muito válido. Então, eu acho que não posso dizer que meus desafios na escrita são relacionados ao fato de eu ser mulher. Acho que os desafios que passo são por causa de mim mesma, no quesito de encontrar o meu nicho literário, meu estilo etc. Talvez eu seja privilegiada por ser mulher cis branca, e vejo que, quanto mais eu me distancio desse tipo de público e saio da minha zona de conforto, mas feliz fico. Acho que o desafio de escrever é justamente esse: escrever para aquelas pessoas que não são ouvidas, ou não têm a oportunidade de encontrarem seu lugar no mundo. Porque é muito fácil escrever sobre meninas indefesas e românticas, agora sair totalmente desse padrão é um enorme desafio e sei que muitas autoras não sabem e não conseguem fazer isso. Por isso, tenho orgulho de eu estar cada vez mais saindo da minha bolha.
    Parabéns por, igualmente, ser desafiada a sair da sua zona de conforto e tentar fazer disso uma causa. Precisamos de mais escritores que pensem "fora da caixinha".

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Nina, eu tbm não tinha entendido isso, até fazer a oficina da Clara e ver os desafios das outras meninas, acabei por entender os meus próprios, mesmo que em menor escala.

      Mas estamos em um momento ótimo em que as escritoras estão enfrentando os desafios e facilitando esse caminho lindo. Tenho esperanças <3

      Excluir
  2. Parafraseando e adaptando nossa diva Viola Davis, a única coisa que separa as mulheres de qualquer outra pessoa é a oportunidade! <3
    Espero mesmo poder ajudar a fazer essa diferença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, sim, essa frase, coisa mais inspiradora <3

      Faremos essa diferença, pode ter certeza <3

      Excluir
  3. Oi Marcia, tudo bem? Amei o post. Um bom exemplo disso é quando em alguns desafios literários há o "desafio" de ler um livro de uma autora. Como se isso fosse mesmo um desafio. Até tem o lado de incentivar a literatura feita por mulheres. Mas só mostra como ainda há uma resistência para a leitura dessas livros. Quantas mulheres usam de pseudônimos masculinos ou deixam de vender ou são vitas com maus olhos?
    Vejo isso até mesmo como blogueira e sofro isso até por parte de autores. Muitos autores já vieram tirar satisfação por resenhas negativas - coisa que infelizmente autoras também fazem. Mas recentemente descobri que esses autores, não tiram satisfação com os homens. Só com as mulheres. Não sei não, mas sinto aí um cheiro de opressão.
    A gente acha que só por que é literatura vai ser diferente.Mas acaba descobrindo que não é bem assim. Que a mulher, leitora ou autora ainda é vista como inferior :(
    Beijos Marcia e continue sempre com essas postagens e que continuemos a escrever e nunca nos calar
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e volte sempre! Seu comentário é sempre importante e bem vindo.

Lembre-se que você é livre para se expressar, desde que com respeito e sempre respeitando o espaço das outras pessoas.

Comentários racistas, misóginos, lgbtfóbicos ou que incitem ódio e/ou violência serão excluídos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...